Resenha: Mitologia Nórdica – Neil Gaiman

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Conheci Neil Gaiman esse ano e Mitologia Nórdica foi o terceiro livro que eu li do autor. Eu particularmente conheço muito pouco sobre a mitologia dos povos que habitam o norte da Europa, mas por diversas vezes invoquei Odin na minha vida.

Sinopse: Neil Gaiman tem sido inspirado pela mitologia antiga na criação dos reinos fantásticos de sua ficção. Agora ele volta sua atenção para a fonte, apresentando uma versão bravura das grandes histórias do norte.

Na mitologia nórdica, Gaiman permanece fiel aos mitos ao prever o maior panteão dos deuses nórdicos: Odin, o mais alto dos altos, sábios, ousados ​​e astutos; Thor, filho de Odin, incrivelmente forte, mas não o mais sábio dos deuses; E Loki-filho de um irmão de sangue gigante para Odin e um malandro e insuperável manipulador.

Gaiman modela essas histórias primitivas em um arco romântico que começa com a gênese dos nove mundos lendários e mergulha nas façanhas de deidades, anões e gigantes. Uma vez, quando o martelo de Thor é roubado, Thor deve disfarçar-se como uma mulher – difícil com sua barba e enorme apetite – para roubá-lo de volta. Mais pungente é o conto em que o sangue de Kvasir – o mais sagaz dos deuses – se transforma em um hidromel que infunde bebedores com poesia. O trabalho culmina em Ragnarok, o crepúsculo dos deuses e o renascimento de um novo tempo e de pessoas.

Através da prosa hábil e espirituosa de Gaiman surgem esses deuses com suas naturezas ferozmente competitivas, sua susceptibilidade a ser enganados e enganar os outros e sua tendência a deixar a paixão inflamar suas ações, fazendo com que esses mitos há muito tempo respirem uma vida pungente novamente.

ll Estética

Foto por Débora Santos Almeida

A capa do livro pessoalmente é mais bonita do que vista por uma foto na internet, fora que ela também conta com um toque macio, sendo bem gostosa de segurar nas mãos. A arte gráfica da contra capa e das demais partes que separam os capítulos, também são bem simbólicas e bonitas e ajudam visualmente na divisão.

É um livro de contos e Gaiman acabou tendo que estudar muito para conseguir relatar eles da forma mais próxima como eles foram passados de geração para geração. O autor no capitulo de apresentação nos conta como teve a ideia e quais foram os outros escritores que ele tomou como base, além de trazer o apelo emocional, já que os personagens fizeram parte da infância do autor, através dos olhos da Marvel, em um quadrinho chamado Poderoso Thor.

Foto por Débora Santos Almeida

No capítulo seguinte os personagens principais dessa história já são apresentados e desmembrados para a gente e se você conhece só o que o cinema e quadrinhos apresenta para você, vai ter um susto quando descobrir algumas coisas. O legal de observar e aprender um pouco sobre a cultura nórdica é em relação a religião. Enquanto o Deus que a gente cultua é um ser supremo, capaz de controlar tudo e todas as coisas na terra, além de ser um Deus completamente certinho e sem falhas, os Deuses dos povos nórdicos se assemelham muito a ”gente como a gente”. Bebem, falam besteiras, são muitas vezes enganados e não tem as atitudes mais limpas, gostando as vezes de tirar vantagem sobre o próximo, se assim for necessário. Além disso cada um é responsável por cuidar de alguma coisa da natureza e os seus sentimentos as vezes acabam interferindo nas coisas aqui embaixo.

Com quase 300 páginas o livro é dividido em contos, mas a melhor forma é ler o livro de forma continua, já que as histórias estão em ordem cronológica, todas amaradas e se destinando para o Ragnarök. No meu ponto de vista as histórias do Loki são as mais engraçadas e divertidas, mas todas tem um senso de humor incrível. Não espere por finais felizes, dede o começo estamos cientes que todos aqueles personagens estão se encaminhando para o fim.

Foto por Débora Santos Almeida

Meu contato com essa cultura veio assim como o da grande maioria da comunidade nerd, pelas histórias da Marvel, mas na verdade a que mais me marcou é a aparição de Thor no livro ”A longa e sombria hora do chá da alma”, onde o Deus do trovão causa uma baita de uma confusão e o agente de investigações holística, Dirk Gently criado por Douglas Adams tem que resolver esse conflito entre céus e terra, vale a pena ler essa outra obra também, e eu acabei dando muita risada com essas trapalhadas.

O começo do universo e do surgimento das coisas é bem bizarro, mas acaba trazendo a lembrança de outros tipos de criacionismo. Gaiman se foca nos Aesir, com figuras como Odin e seus filhos, Loki e outros deuses como Heimdall, Frigga e Tyr que fazem parte de grandes contos. Neste livro você vai descobrir como Thor conseguiu o Mjölnir, como Odin fez para conseguir ser esse pai de todos e um grande sábio (as vezes) e como Loki é o homem mais trapaceiro.

Mímir balançou a cabeça. Ningué, bebia do poço além dele próprio. O sábio nada respondeu: é raro cometer erros quando se está calado. 

Para quem não conhece nada e tem curiosidade, sem dúvidas é uma boa pedida, é mais um livro denso do autor, mas novamente parece que você está conversando com ele, no andamento da leitura. Gaiman sem dúvidas sabe prender o leitor e ao final do livro você já está sentindo que é amigo dele, fora que o narrador é bem ativo então reforça essa sensação.

Foi um processo de desenvolvimento de escrita complicado pra ele, já que nesse livro ele não inventou nada do que está escrito, ele só passou o seu conhecimento para outras pessoas e o que Gaiman mais gosta de fazer é criar.

Foto por Débora Santos Almeida
Foto por Débora Santos Almeida
Foto por Débora Santos Almeida
Foto por Débora Santos Almeida
Foto por Débora Santos Almeida
Foto por Débora Santos Almeida
Foto por Débora Santos Almeida
Foto por Débora Santos Almeida
Foto por Débora Santos Almeida
Foto por Débora Santos Almeida
Foto por Débora Santos Almeida

Débora Santos Almeida

Autora de textos sobre automobilismo em especial sobre Fórmula 1, leitora voraz de livros de ficção científica, amante de Arthur C. Clarke e freqüentadora do restaurante do Douglas Adams!

14 comentários em “Resenha: Mitologia Nórdica – Neil Gaiman

    • agosto 18, 2017 em 6:46 pm
      Permalink

      É muito encantador mesmo, gosto do jeito como ele conversa com a gente nos livros, as vezes é como se ele estivesse com você em uma mesa conversando sobre aquele tema, poucos sabem fazer isso como ele!

      Resposta
  • agosto 16, 2017 em 8:49 pm
    Permalink

    Gailman é outro que eu sempre ouço falar, já vi várias adaptações, mas nunca li nada propriamente ele. Eu não sabia da sua inspiração asgardiana nem desde livro, ganhou ainda mais pontos comigo.

    Bites!

    Resposta
    • agosto 18, 2017 em 6:45 pm
      Permalink

      Depois que eu descobri ele, simplesmente fiquei com vontade de ler todos os outros, acredito que se você pegar qualquer livro dele, vai ver como a escrita é super envolvente e vai curtir também!
      Beijos

      Resposta
  • agosto 18, 2017 em 6:55 pm
    Permalink

    Olha, quanto mais eu vejo falarem sobre o Neil, mais eu sinto vontade de ler!
    Confesso que fiquei babando na apresentação gráfica do livro, está lindo, mas a ESCRITA dele parece ser o principal!
    Já me disseram que, como fã de King, posso adorar o trabalho dele.

    Resposta
  • agosto 19, 2017 em 3:20 am
    Permalink

    Sou apaixonada pelo trabalho do Neil tanto em quadrinhos quanto nos livros e até mesmo como pessoa! Também não tenho tanto conhecimento da cultura nórdica, o que me faz ficar mais interessada ainda nesse livro. E realmente a capa tá maravilhosa <3

    Resposta
    • agosto 23, 2017 em 5:40 pm
      Permalink

      Eu achei bem legal ele se aventurar em outro tema e foi interessante ver um trabalho que não foi uma criação dele, mas que de qualquer forma ele mandou muito bem!

      Resposta
  • agosto 19, 2017 em 5:47 am
    Permalink

    Oi, Débora!
    Essa é a minha leitura atual e posso dizer que estou gostando muito! Eu já havia lido alguns livros do Gaiman e adoro o trabalho dele e não fico surpreso por estar adorando a forma com que Neil está contando os contos nórdicos. Eu já havia tido uma experiência com a mitologia nórdica através do Thor e da nova série do Rick Riordan, do Magnus Chase, portanto já sabia ais ou menos sobre alguns contos (pelo menos até onde eu cheguei).
    Espero poder finalizá-lo em breve (o que vai acontecer) e gostar tanto quanto você!

    Abraços,
    http://claqueteliteraria.blogspot.com.br/

    Resposta
    • agosto 23, 2017 em 5:43 pm
      Permalink

      Já me recomendaram Rick Riordan tenho vontade de conhecer algum trabalho dele, como esse está sendo o meu ano de descobertas, acho que eu posso me aventurar em alguma coisa! O pouco que eu conheço mesmo é o que a Marvel mostrou nas telonas, eu não tenho muito costume de ler quadrinhos, mas depois de ler esse livro já acabei pesquisando algumas coisas sobre esse universo e agora me dei conta que tem várias outras obras que tem como base esses personagens.

      Depois me conta o que você achou do livro eu ficaria muito feliz em sabe! Obrigada <3

      Resposta
  • agosto 19, 2017 em 12:26 pm
    Permalink

    Não tenho muito conhecimento sobre a cultura nórdica mas me interessei bastante por esse livro.
    Me apaixonei por essa capa, é uma das mais bonitas que já vi, e suas fotos ficaram incríveis.
    Beijos

    Resposta
    • agosto 23, 2017 em 5:44 pm
      Permalink

      A edição e acapa realmente ficaram ótimas! Conheça ele vai valer todo o seu tempo, tenho certeza!
      Ah muito obrigada por ter falado das fotos <3 eu estou começando a me aventurar nesse mundo e estou gostando bastante, você não tem noção do quanto esse comentário aqueceu o meu coração. <3 <3 <3

      Resposta
  • agosto 20, 2017 em 5:10 am
    Permalink

    Parece uma leitura muito rica e interessante, fiquei com vontade de ler também!
    Além disso, achei o livro lindo, um ótimo trabalho.

    Parabéns pela resenha, muito bem escrita!

    Resposta
    • agosto 23, 2017 em 5:47 pm
      Permalink

      Não tem como descrever, mas desde o primeiro livro do Gaiman eu fiquei apaixonada pela escrita dele, fora que o trabalho da editora também contou muito, a edição, tradução e estética do livro foram bem trabalhadas!

      Fico feliz de você ter gostado da minha resenha, isso me deixa muito feliz! Obrigada por ter vindo conhecer o meu trabalho, vire mais um estrelinha aqui do blog e por favor venha mais vezes visitar ele <3

      Resposta
  • Pingback: 24ª Tiragem – Mitologia Nórdica, um livro de Neil Gaiman – Edição Rápida

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: