RESENHA – OS CÃES NUNCA DEIXAM DE AMAR

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

865337Tem livros que a gente simplesmente acaba comprando pela capa ou pelo titulo. As vezes são esses dois motivos e o apelo sentimental que eles tem, isso as vezes acontece quando o livro ativa uma memória nossa antes mesmo da gente ler as primeiras páginas. Tem gente que é conquista pelo estômago, mas eu sou facilmente conquistada pelos olhos. Quando eu vi aquela capa com um lindo e belo Beagle, não consegui não pensar em meu cachorro e qualquer coisa que envolva beagles e cachorros em geral só podem ser muito gostosas. 

SinopseO livro ”Os Cães não deixam de amar”, é um livro de memórias da autora Teresa Rhyne. Ela conta a sua vida em uma das épocas mais difíceis da sua vida.  Ela é uma advogada com uma carreira de sucesso,  ela é o tipo de mulher que queremos ser aos 40 anos, bonita, bem vivida e confiante. Mas Teresa também enfrentou um barra na sua vida, foi casada duas vezes e se considera péssima quando a questão envolve escolher bons caras para se ter um relacionamento. Ela também acabou tendo problemas com as mães dos seus ex’s, que não gostavam muito dela. Teresa tem uma bagagem bem grande e muitas das coisas que ela já viveu fazem ela achar que nunca será capaz de ter um amor do jeito que ela merece. 

Após o seu divorcio ela decide ir morar em Riverside e começar tudo de novo, ela resolve construir uma lista com o alfabeto e tentar ir completando ele de acordo com as suas necessidades. Ela estava divorciada e logo depois perdeu os seus dois beagles mais velhos, ela havia ficado literalmente sem nada para ajudar a se reconstruir e dentro de todos os seus relacionamentos o único mais consistente que ela tinha era com os seus cachorros e agora eles também haviam partido. 

”Como o personagem de Steve Martin no filme O panaca, tudo que eu precisava era de B, C e D: bons livros, café e dóceis cachorros. Isso era tudo de que eu precisava. B era para bons livros – eu revesti as paredes da minha sala de estar e um dos quartos extras com as minhas incompatíveis e pesadas estantes e empilhei o restante dos livros por toda a casa em lugares onde ninguém poderia dizer que eles estavam bagunçados. C era para café – aos litros, sem ninguém por perto para me dizer que ele espirrou nos rejuntes brancos dos azulejos fazendo a maior bagunça. E D era para dóceis cachorros – eu tinha dois beagles, Richelieu e Roxy, e havia dito para o meu parceiro de trabalho com quem eu aluguei a casa para não se importar em trocar o carpete verde feio, uma vez que os meus cachorros estavam velhos e poderiam ser bagunceiros. Com isso, quis dizer que eu estava velha e bagunceira e pretendia permanecer assim gloriosamente (acho que uma das muitas coisas boas nos cachorros é que eles não se importam em ser culpados por coisas que não são culpa deles).” 

”A, B, C e D. Eu tinha empacotado meu alfabeto, colocado em um caminhão de mudanças e deixado meu casamento para trás” 

Vale lembrar que o livro é dividido em duas partes. Na primeira parte do livro ela mostra como reconstruiu a sua vida depois do segundo divorcio e a adoção do seu novo cachorro Seamus. Ela também acaba conhecendo um carinha que vai acabar se tornando o seu namorado.  

Primeira Parte 

Capa original
The Dog Lived (And So Will I) – O Cachorro sobreviveu e eu também sobreviverei é o titulo original do livro e também do blog

Nessa primeira metade ela conta como é o relacionamento dela com Seamus, as vantagens de se ter um novo companheiro de quatro patas e o receio dela no primeiro momento de ter um novo amigo, isso também abre um paralelo para o seu novo relacionamento com Cris e todas as dificuldades que envolvem um relacionamento novo, seja ele com humanos ou cães.  É também nessa parte que ela descobre que o seu cachorro de dois anos tem câncer, os veterinários dizem que mesmo com o tratamento ele viveria apenas um ano, e ela não mede esforços para fazer com que ele melhore, vai atrás dos melhores tratamentos, gastando todas as suas economias para dar a melhor vida que ele poderia ter, mesmo que isso só fizesse ele durar um ano, seria o melhor ano da vida dele.  

Chris é fundamental quando ela descobre a doença de Seamus, dando o suporte necessário para eles. Seamus fica conhecendo Chris como o cara da comida, já que sempre que ele vai na casa de Teresa ele ganha alguma coisa gostosa para comer. Chris também tem medo de cachorros e o beagle dela não é o mais fácil de lidar, na verdade beagles não são cachorros para quem tem medo, eles são muito alegres e elétricos e isso muitas vezes assusta as pessoas que tem um primeiro contato com eles, mas também são uma raça bem amorosa e com o tempo eles conseguem roubar o seu coração, assim como aconteceu com Chris. Mas mesmo com todo o amor envolvido no relacionamento deles, uma coisa bem desagradável acontece logo após o primeiro encontro entre Teresa, mesmo com eles sendo super amorosos e receptivos, dois dias depois eles intimam Chris para que ele termine tudo com ela, e todo aquele sentimento de insegurança que ela tinha toma conta dela e isso acaba colaborando para que Chris decida dar um tempo no relacionamento.  

DSCN2633
Seamus (acervo da autora)

Seamus realiza todo o seu tratamento e melhora, voltando a ser um cão normal e saudável. Chris acaba voltando para a vida deles e dessa vez o relacionamento acaba se fortalecendo, juntos eles decidem não se importar com o que a família e amigos deles achariam da relação dos dois, chegando até a se afastar desses para não deixar que as criticas abalassem os dois. 

 

 

Segunda Parte 

Chris e Teresa
Chris e Teresa

Na segunda metade do livro quem acaba descobrindo um câncer de mama é Teresa. E ela encontra forças para enfrentar o seu problema, através das lições que ela teve com Seamus. Já que ele havia sido forte para enfrentar o problema ela também seria. Boa parte dos problemas que ela enfrentou com o cachorro acontecem com ela. Pelo caminho ela encontra médicos que não são tão legais, assim como encontrou veterinários que não pareciam dar atenção para os problemas deles. Ela também vai em busca de tratamento em outra cidade assim como fez para o cachorro, muitas vezes repetindo os mesmos passos, mais aqueles que deram certo. Assim como o cachorro ela consegue dar a volta por cima e se curar do câncer. 

A família de Chris acaba se aproximando dela, a mãe dele também havia enfrentado um câncer de mama e elas acabam criando um laço por isso também servindo para os dois lados se conhecerem melhor e a família dele percebendo que ela fazia bem para ele e ele para ela.   T and S Save 2nd Base

Toda a historia é muito emocionante e por diversas vezes eu tive que parar o livro para enxugar os olhos. Ele mexeu comigo porque por diversas vezes quando ela conta como é viver com Seamus eu não conseguia não comparar ele com o meu beagle Mycroft, eles sabem fazer muito bem carinhas que derretem o nosso coração e se torna muito difícil dizer não para eles, mas além disso ela mostra como não media esforços para ver o seu cachorro bem e acho que eu também não pensaria duas vezes se tivesse que ajudar o meu ou qualquer um dos meus cachorros.  

019Foi assim que Teresa Rhyne decide escrever um livro. A iniciativa para escrever o livro começou quando ela criou um blog para manter os seus familiares atualizados das coisas que estavam acontecendo com ela, mas ela não imaginou que outras pessoas como clientes e ”anônimos” também se interessariam por sua historia. Ela também escreveu um segundo livro que tem o titulo ”Eles Sempre Estarão ao seu Lado”, uma continuação da sua jornada e de Seamus com novos personagens, mais esse eu ainda não tive a oportunidade de ler, mas pretendo fazer em breve. 

Achei o blog da Teresa assim que terminei de ler o livro e acabei chorando mais uma vez quando eu vi a verdadeira foto de Seamus e não poderia deixar de divulgar ele aqui ao final dessa resenha, para quem quiser conhecer ela também. 

O site da autora. 

https://youtu.be/Jcl1jZaPG0A

Gostaria de comentar que uma coisa apenas sobre o livro. A historia é perfeita e dela eu não tenho nada para reclamar. Mas acho que a tradução deixou um pouco a desejar, não que eu tenha lido o original, mas por diversas vezes eu encontrei erros de concordância, principalmente quando estavam tratando de um personagem e trocavam o ele por ela. 

865337Título: Os Cães Nunca Deixam de Amar
Autor: Teresa J Rhyne
Tradutor: Mayara Fortin
Editora: Universo dos Livros 
Edição: 2013
Idioma: Português
ISBN-13: 9788579305368
ISBN-10: 8579305365
Especificações: 312 páginas

Débora Santos Almeida

Autora de textos sobre automobilismo em especial sobre Fórmula 1, leitora voraz de livros de ficção científica, amante de Arthur C. Clarke e freqüentadora do restaurante do Douglas Adams!

2 comentários em “RESENHA – OS CÃES NUNCA DEIXAM DE AMAR

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: