RESENHA – UMA PEQUENA CASA DE CHÁ EM CABUL

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

capa

Uma Pequena Casa de Chá em Cabul foi um livro que eu demorei mais ou menos dois anos para conseguir ler ele. Eu tinha visto ele uma vez, nas mãos de uma mulher no trem que eu pego todos os dias para voltar para casa, mas a única coisa que eu conseguia me lembrar era a xícara na capa. Não havia conseguido ver o nome do livro e não sabia o nome da autora, o que dificultou ainda mais as minhas buscas. Fui a diversas livrarias e sempre perguntava para algum vendedor.

– Você viu um livro que é amarelo e tem alguns detalhes em verde água e uma xícara na capa?
E a resposta era sempre a mesma:
– Você não sabe mais nada sobre esse livro? O nome do autor ou sobre o que ele se trata?
E algumas vezes achavam que eu estava procurando A Lista de Brett
E minha minha resposta era sempre a mesma:
Não, até porque eu vi ele em um trem.

Eu até acreditava que um dia o livro brotaria na minha cara quando estivesse na livraria, mas esse dia não chegou e eu acabei me rendendo a loucura. Entrei no site da Saraiva e comecei a ver todo o catálogo de livros que eles tinham disponíveis, e depois de quase desistir umas duas vezes, lá pelas 40 e poucas páginas do site e muitos títulos eu achei o tão sonhado livro. Fui logo procurar a sinopse e no pouquinho que fiquei sabendo do livro eu já havia me apaixonado ainda mais.

Agora percebam como a vida é. Se eu tivesse conseguido ver o nome da autora, eu provavelmente nunca teria esquecido pois o nome dela é Deborah ou seja o mesmo que o meu. Mais uma coisa peculiar o sobrenome dela é Rodriguez, o mesmo do meu pai. Mas o destino e a vida em si não costumam facilitar, mas acabou valendo a espera, para ler esse livro.

Sinopse: Uma Pequena Casa se Chá em Cabul, reúne a história de cinco mulheres com caminhos diferentes, que a única coisa que liga todas elas é o Afeganistão.mulheres-cha

Sunny: A orgulhosa proprietária que precisa de um plano genial – e rápido – para manter em segurança a sua casa de chá e os clientes. Sunny é uma mulher de bom coração, esta sempre disposta a ajudar as pessoas que vem até a sua casa de chá ou que acabam cruzando o seu caminho. Foi assim quando viu Yasmina, no Ministério da Mulher, sem ter para onde ir, ela acaba ficando com pena daquela mulher que fora abandonada nas ruas da perigosa Cabul e acaba chamando a jovem moça para trabalhar na casa de chá. Sunny acaba ajudando muitas pessoas, mais ela também precisa de ajuda, como a cidade não era mais um lugar seguro, como quando ela chegou lá, algumas coisas precisam ser feitas para mais dinheiro entrar e ela não ser obrigada a fechar o estabelecimento, sua sorte é que ela é amada por várias pessoas e todas elas estão dispostas a arregaçar a manga e ajudar ela a levantar o negócio.

Yasmina: Uma jovem grávida que fora roubada de seu distante vilarejo e abandonada nas ruas violentas de Cabul. Ela foi tirada de sua família, por conta de uma divida que o seu tio tinha com agiotas da região, quando a família não tinha como pagar, eles levam uma moça como forma de pagamento, depois vendiam elas ou para serem esposas de outros homens ou para casas de prostituição. O problema é que a divida acaba deixando de ser paga, quando esses homens descobrem que ela esta grávida e acabam abandonando ela nas ruas de Cabul. Uma mulher grávida não valia nada para eles e seria pior ser vista com uma, já que essa mulher poderia ter engravidado de qualquer homem que estava por perto dela. Aliás essa é a grande questão que afeta Yasmina por todo o livro, não saber o que fazer para esconder a gravidez e não desonrar as pessoas que acolheram ela.

Uma mulher viúva e ainda por cima grávida, é a pior coisa que uma mulher pode enfrentar no Afeganistão. Pois todas as pessoas acabam achando que ela havia se deitado com outro homem, quase ninguém acredita que essa mulher um dia foi casada e nas circunstancias que Yasmina se encontrava, era muito pior, pois ela não tinha nem família que pudesse acolher ela, a historia dela acaba abrindo parênteses para várias circunstancias.

Candence: Uma americana rica que finalmente trocou o marido pelo amante afegão, o enigmático Wakil. Ela é uma mulher confiante e além de tudo muito influente, acaba deixando o seu país para viver um amor com Wakil, mas no decorrer da historia ela descobre que ele estava apenas fazendo uso da influência dela, para conseguir dinheiro para a sua escola e claro que ele nunca se casaria com uma mulher estrangeira.

Isabel: Uma jornalista determinada, com um segredo que pode privá-la da maior reportagem de sua vida. Com Isabel descobrimos a situação dos presídios do Afeganistão, viviam sem ter o que comer, sem água, sem roupas limpas e muitas ficavam com os seus filhos dentro da prisão pois também não tinham o que fazer com os filhos delas.

ma%cc%83e-chaHalajan: A “mãe” do grupo, uma idosa cujo antigo caso de amor vai contra todas as regras. Talvez essa seja a personagem que mais me deixou com o coração apertado. Por ser a mais velha do grupo, ela acabou vivendo em dois momentos muito diferentes no Afeganistão, antes e depois do Talibã, sendo obrigada a se cobrir para se proteger da maldade dos homens que a cercavam. Halajan também foi forçada a se casar por meio do casamento arranjado, não era com a pessoa que ela tinha vontade, mas mesmo assim honrou o seu casamento até o ultimo dia do seu marido. Mas o coração dela nunca deixou de pertencer ao seu Rashif. Logo após os dois ficarem viúvos, Rashif começou a investir em Halajan, entregando cartas a ela sempre que ia até o mercado fazer compras. A história dos dois é de deixar qualquer pessoa com o coração apertado, mesmo viúvos o único modo deles se casarem seria com a permissão do filho dela, que um homem muito conservador e acha que um segundo casamento é uma coisa muito inovadora para Cabul.

O livro fala sobre amor e sobre dar oportunidade. Também é uma história muito motivadora, onde nas piores circunstancias todos os personagens acabam se apoiando para tornar os dias na cidade mais fáceis. 

aventura-cha

Deborah Rodriguez, a autora viveu no Afeganistão, por isso tem total domínio sobre o tema e conseguiu enriquecer o cenário com muitas características. Também é autora do livro O Salão de Beleza de Cabul: O Mundo Secreto das Mulheres Afegãs. Ela passou cinco anos lecionando e dirigindo a Escola de Beleza em Cabul a primeira instituição moderna de beleza e treinamento no Afeganistão.

casa-de-cha Título: Uma Pequena Casa de Chá em Cabul
Autora: Deborah Rodriguez
Tradutora: Alice Klesck
Editora: LeYa
Edição: 1ª – 2015
Idioma: Português
ISBN-13: 9788544101834
ISBN-10: 8544101836
Adicione: Skoob Goodreads
Especificações: 304 páginas

 

Débora Santos Almeida

Autora de textos sobre automobilismo em especial sobre Fórmula 1, leitora voraz de livros de ficção científica, amante de Arthur C. Clarke e freqüentadora do restaurante do Douglas Adams!

Um comentário em “RESENHA – UMA PEQUENA CASA DE CHÁ EM CABUL

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: